imagem

imagem

..

19 de out de 2012

Restart e os perigos de um julgamento apressado


Todo mundo que acompanha estas mal traçadas linhas sabe o quanto eu desprezo o som do Restart. Mesmo levando em consideração o apelo infanto-juvenil que o grupo tem em levar fãs descerebradas ao delírio, não dá para engolir as canções patéticas que a banda apresenta. Usar argumentos do tipo "os Beatles também faziam canções para menininhas histéricas no começo de carreira" é de uma preguiça mental inominável.
Justamente por ter todos os motivos para execrar os meninos "coloridos e bobocas" é que a notícia dada em destaque pela coluna "Retratos da Vida" do site do Extra me faz desconfiar de uma tremenda "barrigada", que é o termo que a gente dá na imprensa quando um jornalista comete uma besteira inacreditável em termos de informação.
Calma, vou explicar...
Segundo reportagem da coluna — que você pode ler aqui -, existem músicos "escondidos" por trás dos amplificadores do baixista Pe Lanza e dos guitarristas Pe Lu e Koba que seriam os verdadeiros responsáveis pelo som que estes integrantes exibem em cima do palco. Um dos problemas é que o texto não tem qualquer assinatura. Mas o pior é a foto exibida do que seria esta falcatrua. Veja abaixo:

O problema é que a tal foto pode realmente significar que existem músicos tocando o som de verdade, mas ela dá margem à outra interpretação, que só aqueles que sabem como funcionam os bastidores de uma apresentação podem confirmar. Em outras palavras: o que vejo na foto PODE SER um "roadie" do Pe Lanza empunhando um baixo, que PODE TER sido fotografado no momento em estava AFINANDO o instrumento.
Outro argumento utilizado no texto — sem autoria assumida, friso novamente — para "comprovar" a suposta "falcatrua é que há uma "folha com a lista das músicas à frente deles". Ora, para quem não sabe, todo roadie tem que ter obrigatoriamente o set list pendurado à sua frente justamente para saber quando deve ocorrer troca de instrumentos, afinações etc.
Volto a repetir: sou um dos mais ferrenhos críticos em relação ao som 'perninha' do Restart. Fato. Mas daí a acreditar CEGAMENTE de que esta foto mostra uma fraude da banda em relação à veracidade de seu som vai uma distância muito grande. Ainda mais porque não sei até que ponto o fotógrafo e o "repórter" — cujos nomes, volto a repetir, não aparecem creditados na matéria — manjam realmente de som e têm condições de avaliar o que está realmente acontecendo em cima de um palco.
Se alguém mostrar um vídeo com estes supostos "músicos de apoio" em ação, darei minha mão à palmatória e vou cair de pau em cima dos pirralhos coloridos. Enquanto isto não acontecer, prefiro acreditar que alguns profissionais — de maneira leviana ou não — estão tentando obter mais audiência para o seu site.
Na dúvida, sempre prefiro acreditar mais na inocência do que na culpabilidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário